Igreja da Comunhão

08/04/19 PDF Imprimir E-mail

pr_dirceu_foto_dir_-_cpia"Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus." (Romanos 6.10-11)

A sexta conseqüência da morte de Jesus se relaciona com a nossa natureza pecadora. Nós gememos por causa dessa natureza, porque, à luz da majestade e da santidade de Deus, notamos que somos corruptos por natureza. Andamos curvados sob esse fardo até que se revele para nós o mistério da morte de Jesus e seu efeito sobre nosso ser.

A conseqüência da morte de Jesus sobre nossa natureza é descrita claramente no versículo acima. Isso significa de maneira bem prática: quando você sente a sua natureza pecaminosa, quando se dá conta das más inclinações e tendências que você tem, nesse momento, pela fé você deve se posicionar na cruz de Jesus. Ele morreu e eu morri com Ele – esse é o fato, a realidade, quer eu a sinta quer não. Se você assumir essa posição, então, conforme Romanos 6.7, você estará "justificado do pecado", pois aquele que morreu já está justificado do pecado inerente à sua natureza pecaminosa. Deus não vê mais essa índole pecaminosa uma vez que você morreu com Cristo que o livrou desse caráter de pecado.

Extraído do livro “Pérolas Diárias”(de Wim Malgo).

 

Pão do Céu

Mensagem: Clique aqui

TV ONLINE

Lançamento Audio-Livro

Peça pelo telefone:

(11) 9.5076-3640

ou pelo email:

prdirceu@yahoo.com.br

Se preferir, leia:

Tradutor